Tuesday, October 03, 2006

Donde vêm?


Donde vêm?


Donde vêm? De que rosto, de que estrela?

Apenas uma arde no vento. As outras, fico a ouvi-las escorrer da pedra.

Apenas uma em silêncio brilha. As outras mordem um coração de homem.

Só prometido à terra.

Eugénio de Andrade

0 Comments:

Post a Comment

<< Home